segunda-feira, 7 de março de 2016

Está chegando o dia de celebrar a beleza de ser mulher!

Elas marcaram a história desde o começo dos tempos. Na Palavra de Deus algumas se tornaram heroínas e grandes instrumentos nas mãos do Senhor. As mulheres foram responsáveis por desempenharem funções cruciais na Bíblia, mesmo em uma época onde o papel da mulher na sociedade ainda era muito difícil.

No antigo testamento as mulheres mais lembradas são:

Sara – mostra que Deus é fiel as promessas;

Tamar – ensina que Deus abençoa pessoas que procuram justiça;

Miriã – comprova que o Senhor é amoroso, mas puni a desobediência e a rebelião;

Raabe – informa que Deus usa meios inesperados para encorajar o seu povo;

Bate-Seba – instrui que Deus pode transformar coisas más em esperançosas e boas;

Ester – mostra que Deus protege o seu povo do perigo;

Débora – ensina que tornar-se instrumento da vontade de Deus requer iniciativa e coragem.
Se basear nesses exemplos de grandes nomes femininos daquela época é essencial para as mulheres sábias de hoje em dia.

 “A beleza é enganosa, e a formosura é passageira; mas a mulher que teme o Senhor será elogiada.” Provérbios 31:30 (NVI)

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

NOVAS POSTAGENS

Fiquei muito ausente em 2015, mas Deus tem colocado em meu coração o desejo de continuar com esse Blog e postar não somente mensagens de outros, mas também começar a escrever o que Deus tem ministrado em meu coração.

Espero que possamos estar juntos neste ano de 2016, testemunhando e levando a palavra do Senhor através deste Blog.

Nan Rosendo

VAMOS ORAR



Aprendemos que orar é falar com Deus: uma conversa entre pai e filho. Existem várias formas de oração: de agradecimento, quando estamos felizes por receber algo ou alcançar uma graça; a oração intercessora, quando pedimos em favor de algo, alguém, por uma cura, um livramento, uma porta aberta e etc. Existe também a oração de clamor – quando buscamos algo para nós, para a Igreja ou em favor da vida espiritual
Já a súplica é um pedido insistente, humilde e com muita necessidade. A oração é indispensável na vida de cada cristão: individualmente e coletivamente, na vida da Igreja. Há um jargão muito conhecido em nosso meio que é “muita oração, muito poder, pouca oração, pouco poder.” A verdade é que os cristãos estão mais interessados em poder, na realização das bênçãos do que o prazer de tão somente orar. Se orar é falar com Deus, então é prazeroso falar com ele. Um filho não fala com o pai só quando vai pedir algo, ele fala com o pai porque lhe é prazeroso. O triste é que os cristãos não tem priorizado o tempo de estar a sós com Deus, alegando não ter tempo para orar. O Pastor americano Johon Piper diz que: “ uma das maiores utilidades do twitter e facebook [whatsapp e outras redes sociais] será provar no último dia que a falta de oração não era por falta de tempo”. O que temos feito com o nosso tempo e em que temos usado ele? Que possamos refletir sobre isso durante a semana. “... Não podeis vigiar nem uma hora? Vigiai e orar...” (Mc. 14:37 b – 38 a).

ENTÃO VAMOS ORAR!!!!

No amor de Cristo:

Pastor José Fabricio Bahls

Quando a Vida É Uma Bobagem




Quando a Vida É Uma Bobagem Texto: Gênesis 2:15-18 e Gênesis 3:16-19 

Introdução: Quando somos crianças, muitas vezes nos aborrecemos por discordar de situações que nos favorecem. A criança não gosta quando é repreendida por colocar o dedo na tomada, encostar na superfície quente e queimar-se, ou subir em lugares de onde irá cair e machucar-se; e, as vezes, desobedece. Você já esteve em alguma situação parecida? O ser humano em relação a Deus é como a criança frente ao adulto; não conhece muita coisa, não entende os propósitos de Deus, mas insiste em discordar; e muitas vezes desobedece em situações que o favorecem. Vejamos o exemplo de Adão: 1) O que Deus planejou para Adão (Gn. 2). - Morar no paraíso ( o lugar em perfeita harmonia). (v.15) - Usufruir de quase toda a criação ( v.16 e 17). - Nunca estar só. Ter a companhia de Deus e da auxiliadora idônea (v.18). Uma vida com propósito e total suprimento. 2) A escolha de Adão e suas conseqüências (Gn.3). Adão escolhe desobedecer Deus. - A harmonia da criação é afetada. Começa o desequilíbrio. Ervas daninhas começam a ser produzidos. O lugar já não é perfeito (v.17 e 18). - Para se conseguir algo da criação agora há desgaste e cansaço (v.17 e 19). - Passa a fazer parte da história humana o sofrimento, a dor física e a discórdia entre homem e mulher (v.16). - O ser humano perde a comunhão plena com Deus. Conclusão: A Bíblia em João 10:10 diz que Jesus veio e morreu para que tivéssemos vida em abundância, mas insistimos em discordar de Deus e desobedece-lo. Fazemos o que queremos e não o que Deus nos pede e experimentamos conseqüências iguais ou piores que as que Adão obteve. Desobedecer a Deus é uma bobagem. Vida em desobediência a Deus é uma bobagem; uma existência miserável. Deixe isso! Renda-se a Deus, viver a obediência é viver em paz consigo mesmo e com Deus.

Pastor  Alberto Inácio 

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Mical: saia da janela!

(Texto Bíblico:2 Samuel 6:9 a 23)

Mical era filha de Saul e foi a primeira esposa de Davi. Ela o amava. Não sabemos como exatamente eles se conheceram, mas, em 1 Samuel 18 a Bíblia nos conta que Saul, sabendo do amor de Mical por Davi, a ofereceu em casamento em troca da morte de 100 filisteus (na verdade o plano do rei era que Davi fosse morto nessa empreitada). Davi cumpriu a determinação e fez ainda mais: matou não apenas 100, mas 200 filisteus – e fez isso antes do prazo dado pelo rei. E então tornou-se genro de Saul.

Nos relatos históricos, percebemos que o amor de Mical por Davi foi se esfriando com o passar do tempo. Embora o tenha ajudado na fuga, ela não quis fugir com ele quando seu pai o estava tentando matar – talvez não estivesse disposta a deixar o conforto do palácio e preferiu sacrificar seu casamento. Davi ficou sete anos longe, até que pudesse voltar e assumir o trono depois da morte de Saul e seus descendentes, e, nesse período de lutas, por sua esposa não estar ao seu lado, ele encontrou auxílio nos braços de outras mulheres. Mas sua primeira aliança era com Mical – e se ela quisesse e agisse com sabedoria, poderia usufruir das bênçãos decorrentes disso. No texto que lemos, no entanto, conhecemos uma Mical não mais apaixonada pelo seu marido. Uma Mical que, com amargura no coração, despreza a alegria de Davi e rejeita a benção que ele tinha, da parte de Deus, para toda sua casa. Pouco depois desse episódio, Davi comete o adultério com Bate-Seba. E Mical morreu sem filhos, sem deixar um herdeiro legítimo para o trono.

Porque será que esta mulher, que um dia amou seu marido e o ajudou num momento tão importante de sua vida acabou assim?

Creio que é importante notarmos que Mical tinha traumas e feridas em seu coração. Afinal de contas, ela foi usada por seu pai para montar uma armadilha contra o homem que amava. Depois, quando ele fugiu e ela se recusou a ir junto, foi entregue como esposa para outro. E passados sete anos, foi tirada desse marido para ficar de novo com Davi. 

Traumas não resolvidos e emoções feridas tiraram o brilho de Mical. E mais do que isso: lhe trouxeram cegueira espiritual. Ela já não via Davi como um homem escolhido por Deus para reinar e não compreendia a alegria da presença do Senhor.

No episódio da festa que Davi fazia pela retomada da Arca da Aliança, Mical ficou de fora,olhando pela janela. Ela tinha todo direito de estar ao lado do rei, seu marido, celebrando com ele. A presença do Senhor era manifesta naquele lugar e havia júbilo no meio do povo. Era o avivamento! Mas Mical simplesmente o desprezou.

Mical nos faz lembrar de mulheres que preferem apenas olhar pela janela ao invés de participar da festa. Mulheres que desprezam o poder de Deus e desistem do seu casamento ou de seus sonhos. Mulheres que deixam a amargura dominar o coração e se tornam insensíveis ao agir de Deus. Mulheres que são tão críticas que não conseguem enxergar o amor do Pai nas pequenas coisas que nos rodeiam. Mulheres que acabam desprezando a benção e o propósito que Deus tem para cada uma de nós e por causa disso, morrem estéreis, sem colher os frutos e as flores de uma vida bem sucedida - que é prometida para aqueles que são plantados junto às correntes de águas que é o próprio Deus! (Salmo 1)

Mical agiu errado ao não seguir seu marido naquela fuga. Nosso Deus é um Deus que honra as alianças que temos com Ele e que foram feitas diante Dele. Casamento é uma aliança para toda vida, não importa o que aconteça no meio do caminho. Se você é uma mulher que não está disposta a abrir mão do seu conforto e do seu “palácio” para seguir seu esposo, nunca conseguirá desfrutar das bênçãos decorrentes da aliança; sim, porque a aliança do casamento é um espelho da aliança de Deus para com seu povo – uma aliança inviolável, que independe da humanidade, dos nossos pecados ou nossas vontades – e na carta aos Gálatas, o apóstolo Paulo enfatiza que nada, “nem a lei”, “poderá invalidar a aliança previamente estabelecida por Deus de modo que venha anular a promessa”. Ou seja, um casamento, ao receber a benção do Senhor, também estabelece uma aliança eterna. Não importa se anos depois um dos cônjuges ‘descobrir’ (ou achar) que se casou com a pessoa errada. Se houve a benção de Deus, nada poderá invalidar essa aliança. E a melhor notícia é que, da mesma forma, nada também poderá anular as promessas decorrentes dessa benção. Creia nisso, busque isso! Pense como a vida de Mical poderia ter sido diferente se ela abrisse mão do palácio para construir um casamento sólido. Sim, ela viveria anos de lutas e provações. Mas depois experimentaria reinar!

Mical também agiu errado ao criticar seu esposo por seu comportamento. Não se torne a mãe do seu marido. Não seja uma mulher crítica, pessimista, preocupada apenas com “o que os outros vão falar”. Não seja religiosa. Talvez Mical, por ser filha de Saul, conhecia muito bem os protocolos reais e aprendeu desde cedo como o rei e a rainha deveriam agir diante de uma multidão – e bem por isso, não gostou do que Davi fez ao dançar no meio do povo. Mas não se limite aos protocolos. Quebre paradigmas, pré-conceitos, esteja pronta ao novo de Deus! E mais: se você é daquelas que se incomoda com a alegria das pessoas, sinto em dizer, mas você é uma mulher egoísta e invejosa – e precisa se arrepender disso. É pecado. Não seja como aquele filho perdido dentro da própria casa – o irmão do filho pródigo – que sofreu junto com o pai a partida do irmão mas não conseguiu se alegrar com sua volta por pura inveja. Sim, não é de hoje que é mais fácil chorar com os que choram do que se alegrar com os que se alegram... E sabe quando você será mais feliz? Quando for mais grata e reconhecer os presentes que Deus tem dado a você todos os dias. Não fique listando aquilo que falta em sua vida, faça uma lista daquilo que você já tem! Na minha casa, fiz um quadro bem grande com fotos onde mandei escrever “momentos felizes”, pois não quero nunca me esquecer de que coisas aparentemente simples também podem me proporcionar muita alegria! Aproveite esses presentes que Deus nos proporciona no dia a dia. Experimente não se prender aos detalhes e apenas sorria! Quando algo fugir do seu controle, não se desespere. Dê risada, louve! Traga à memória aquilo que pode lhe dar esperança, sempre! (Lamentações 3:21)

Mical ficou na janela quando poderia estar na festa. Deus não te criou para que você apenas admire a obra Dele na vida de outras mulheres. Saia da janela, pare de apenas contemplar e dê alguns passos até a festa que Ele preparou para você! Não se contente com pouco, não se conforme com o medíocre. Lembre-se: Você é a filha do Rei!#
**************************

 Para reflexão:
1) Pense em tudo que envolve sua vida: sua Igreja, seu trabalho, suas amizades, sua família, seu casamento. Onde você se sente hoje: no meio da festa ou na janela?  
2) Você se considera uma mulher muito crítica? Isso atrapalha seus relacionamentos? 
3) Você sente que tem alguma mágoa ou trauma que a impede de ser feliz?

http://joiararaipi.blogspot.com.br/2012/04/mical-saia-da-janela.html

A MÚSICA QUE EDIFICA

Pesquisar este blog