segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

NOVAS POSTAGENS

Fiquei muito ausente em 2015, mas Deus tem colocado em meu coração o desejo de continuar com esse Blog e postar não somente mensagens de outros, mas também começar a escrever o que Deus tem ministrado em meu coração.

Espero que possamos estar juntos neste ano de 2016, testemunhando e levando a palavra do Senhor através deste Blog.

Nan Rosendo

VAMOS ORAR



Aprendemos que orar é falar com Deus: uma conversa entre pai e filho. Existem várias formas de oração: de agradecimento, quando estamos felizes por receber algo ou alcançar uma graça; a oração intercessora, quando pedimos em favor de algo, alguém, por uma cura, um livramento, uma porta aberta e etc. Existe também a oração de clamor – quando buscamos algo para nós, para a Igreja ou em favor da vida espiritual
Já a súplica é um pedido insistente, humilde e com muita necessidade. A oração é indispensável na vida de cada cristão: individualmente e coletivamente, na vida da Igreja. Há um jargão muito conhecido em nosso meio que é “muita oração, muito poder, pouca oração, pouco poder.” A verdade é que os cristãos estão mais interessados em poder, na realização das bênçãos do que o prazer de tão somente orar. Se orar é falar com Deus, então é prazeroso falar com ele. Um filho não fala com o pai só quando vai pedir algo, ele fala com o pai porque lhe é prazeroso. O triste é que os cristãos não tem priorizado o tempo de estar a sós com Deus, alegando não ter tempo para orar. O Pastor americano Johon Piper diz que: “ uma das maiores utilidades do twitter e facebook [whatsapp e outras redes sociais] será provar no último dia que a falta de oração não era por falta de tempo”. O que temos feito com o nosso tempo e em que temos usado ele? Que possamos refletir sobre isso durante a semana. “... Não podeis vigiar nem uma hora? Vigiai e orar...” (Mc. 14:37 b – 38 a).

ENTÃO VAMOS ORAR!!!!

No amor de Cristo:

Pastor José Fabricio Bahls

Quando a Vida É Uma Bobagem




Quando a Vida É Uma Bobagem Texto: Gênesis 2:15-18 e Gênesis 3:16-19 

Introdução: Quando somos crianças, muitas vezes nos aborrecemos por discordar de situações que nos favorecem. A criança não gosta quando é repreendida por colocar o dedo na tomada, encostar na superfície quente e queimar-se, ou subir em lugares de onde irá cair e machucar-se; e, as vezes, desobedece. Você já esteve em alguma situação parecida? O ser humano em relação a Deus é como a criança frente ao adulto; não conhece muita coisa, não entende os propósitos de Deus, mas insiste em discordar; e muitas vezes desobedece em situações que o favorecem. Vejamos o exemplo de Adão: 1) O que Deus planejou para Adão (Gn. 2). - Morar no paraíso ( o lugar em perfeita harmonia). (v.15) - Usufruir de quase toda a criação ( v.16 e 17). - Nunca estar só. Ter a companhia de Deus e da auxiliadora idônea (v.18). Uma vida com propósito e total suprimento. 2) A escolha de Adão e suas conseqüências (Gn.3). Adão escolhe desobedecer Deus. - A harmonia da criação é afetada. Começa o desequilíbrio. Ervas daninhas começam a ser produzidos. O lugar já não é perfeito (v.17 e 18). - Para se conseguir algo da criação agora há desgaste e cansaço (v.17 e 19). - Passa a fazer parte da história humana o sofrimento, a dor física e a discórdia entre homem e mulher (v.16). - O ser humano perde a comunhão plena com Deus. Conclusão: A Bíblia em João 10:10 diz que Jesus veio e morreu para que tivéssemos vida em abundância, mas insistimos em discordar de Deus e desobedece-lo. Fazemos o que queremos e não o que Deus nos pede e experimentamos conseqüências iguais ou piores que as que Adão obteve. Desobedecer a Deus é uma bobagem. Vida em desobediência a Deus é uma bobagem; uma existência miserável. Deixe isso! Renda-se a Deus, viver a obediência é viver em paz consigo mesmo e com Deus.

Pastor  Alberto Inácio 

A MÚSICA QUE EDIFICA

Pesquisar este blog