quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Orientação pastoral sobre o Hallowen



Hebreus 7.24-27). Uma festa em que a bruxaria é honrada, não está em acordo com a vontade de Deus. Como pastores, orientamos a não participação desta prática, bem como qualquer envolvimento na mesma. O apóstolo Paulo ao ver que o povo de Coríntios se envolvia com as práticas pagãs da época disse: “Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios; não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios” (1CO 10:21). Paulo está descartando a participação do povo nas festas da cultura corintiana que não revelavam a paz e graça de Deus em Jesus. Paulo certamente sabia, assim como sabemos, que não se pode dividir a honra, crer em Jesus como Senhor e se envolver nas brincadeiras que fazem parte do parque de diversão do maligno. O Senhor Jesus nos chamou a atenção sobre servir a dois senhores (Mt. 6.24). Faça uma reflexão sobre o significado desta festa e tire suas conclusões. Talvez na sua concepção a festa seja ingênua, sem apontamentos espirituais, somente “doces ou travessuras”, (expressão usada pelas crianças ao pedir doces nas casas em dia de Hallowem). A Palavra de Deus é muito clara no que diz respeito a nem mesmo imitar o mal, isso é algo que não agrada a Deus. (III Jo. 11). Você é uma pessoa abençoada pelo Senhor. A Palavra diz que o inimigo de nossas almas veio para matar, roubar e destruir, (Jo. 10.10). Não seja ingênuo; o inimigo tem procurado formas de ser honrado, por isso se rebelou contra Deus. Ele durante toda a sua existência busca transferir a glória que é de Deus para ele. O inimigo busca nos enganar de forma astuta e muito sutil. Contudo, deixamos isso para sua decisão, afinal, na sociedade atual é licito, mas, nem tudo que é licito, convém... (1 Co. 10.23) Muitas atividades atuais não convêm, principalmente aos que entregaram suas vidas a Jesus como Senhor e Salvador.

Ministério Pastoral
IGREJA METODISTA SAP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A MÚSICA QUE EDIFICA

Pesquisar este blog