segunda-feira, 11 de abril de 2011

Consideremos as formigas


“Vai ter com a formiga, ó preguiçoso, considera os seus caminhos e sê sábio” (Pv 6.6).


Nunca gostei muito de ler esse texto, talvez por causa da palavra “preguiçoso” bem no meio dele. Sempre pensei que, já que não sou preguiçoso, esse texto não teria muito a me acrescentar.


Por outro lado Salomão era um homem sábio “Era a sabedoria de Salomão maior do que a de todos os do Oriente e do que toda a sabedoria dos egípcios”. I Reis 4.30. E de acordo com a narrativa bíblica ele gastou seu tempo e sua sabedoria estudando e discorrendo, entre outras coisas, sobre “todas as plantas, desde o cedro que está no Líbano até ao hissopo que brota do muro; também falou dos animais e das aves, dos répteis e dos peixes” I Reis 4.33.


E no texto acima ele nos desafia: “Vai” e “Considera”.


Consideremos então, por instantes, alguns aspectos da realidade das formigas que podemos aplicar em nosso ministério:

As formigas trabalham em equipe:


Trabalham juntas. Cada uma fazendo a sua parte.

As formigas são diligentes:


Estão sempre empenhadas, esforçando-se para realizar o trabalho que Deus criou para elas.

As formigas se preparam para o futuro:


“No estio prepara o seu pão, na sega, ajunta o seu mantimento” Provérbios 6.8.

As formigas são engenhosas:


Um biologista conta como assistiu uma formiga carregando um pedaço de capim. Quando chegou ‘a beira de um buraco que era largo de mais para cruzar a formiga ficou parada por algum tempo, depois colocou o pedaço de capim como se fosse uma ponte sobre o buraco e caminhou sobre ele.

Salomão disse: “considera os seus caminhos e sê sábio”.


Não é verdade que essas características são necessárias na nossa vida hoje à medida que buscamos agir com sabedoria no ministério para o qual Deus nos designou?

Bispo João Carlos – Igreja Metodista

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A MÚSICA QUE EDIFICA

Pesquisar este blog